Magalu adquire plataforma entregas

Magalu adquire plataforma entregas

Magalu adquire plataforma entregas. Nesta útlima sexta feira, a Magalu anunciou a compra de uma plataforma que é o “Uber das entregas”, a GFL logística.

A plataforma já atende 600 municípios e conta com 13 áreas de cross docking, com cerca de 850 motoristas independentes.

A operação será pela Logbee que faz inclusive entregas diárias em rotas otimizadas para que seu produto chegue aos seus clientes de forma rápida e barata.

Segundo a operadora quanto maior o volume de entregas menor o preço, isso graças ao nosso processo de otimização ponto a ponto. Caixas, geladeiras, peças automotivas, materiais para confecção, ou qualquer coisa que você precisar, a Logbee transporta seu produto e reduz seus custos.

Veja também Carros frotistas mais vendidos 2020

Magalu adquire plataforma entregas

A startup do Magalu é um misto de aplicativo de transporte e logística. Uma espécie de Uber das entregas.

Outra aquisição, além da da GFL, o Magalu também adquiriu a plataforma de tecnologia SincLog que é uma completa plataforma de gestão de processos logísticos.

Ela permite que empresas de logística façam gestão de cargas, emissão de documentos fiscais e averbações, controle das tabelas de frete e remuneração dos motoristas – além de fornecer informações de qualidade e em tempo real para possibilitar ao Magalu gerenciar de forma ainda mais eficiente as entregas de last mile da sua plataforma.

Magalu possuí um pool de serviços como recarga premiada, plano controle
televendas, lista de casamento, magazine luiza empresas
consórcio luiza, cartão luiza, luizaseg, parceiro magalu, clube da lu, quero de casamento, maga mais. Além dos departamentos, marketplace dentre outros.

Magalu adquire plataforma de entregas

Sobre Magazine Luiza

Criado na década de 50, em Franca, no interior de São Paulo, o Magazine Luiza tornou-se uma companhia orientada por ciclos de desenvolvimento. O Magalu já viveu o ciclo da expansão pelo interior do Brasil, o ciclo da entrada no mercado de São Paulo e de consolidação como umas das grandes varejistas brasileiras, o ciclo da busca por escala e abrangência regional via aquisições, o ciclo da transformação digital. Todos eles foram concluídos. A partir de 2019, iniciou-se um novo momento — o posicionamento do Magalu como uma plataforma digital de varejo, um ecossistema que contribui para que milhares de outros negócios ingressem no universo das transações virtuais.

Magalu adquire plataforma entregas

Cinco pilares sustentam este novo ciclo de negócios do Magalu – crescimento exponencial, entrega mais rápida, superapp, oferta de novas categorias de produtos, principalmente por meio do marketplace, e o Magalu ao seu Serviço (ou Magalu as a Service).

O desafio dos mais de 35 000 colaboradores da empresa é fortalecer esses pilares para que o ecossistema digital funcione de forma plena. Assim como das nossas empresas parceiras: Netshoes, Zattini, LogBee, Época Cosméticos, Estante Virtual, Consórcio Magalu, entre outras.

Este Magalu é marcado por sua velocidade. Levamos 43 anos para faturar 1 bilhão de reais em nossas lojas físicas, origem da empresa. Precisamos de apenas 10 anos para atingir a marca de 1 bilhão de reais em faturamento em nosso seu e-commerce.

E relâmpagos 2 anos para atingir esse mesmo valor com a operação de marketplace que, em dezembro de 2019, reunia 15 000 sellers, indústrias e varejistas dos mais diversos tamanhos, origens e especialidades.

Nos últimos anos, o Magalu fez a opção estratégica pelo crescimento exponencial, por atingir um ritmo de expansão que multiplique o tamanho e a abrangência da empresa, fazendo com que ela permaneça relevante na economia digital. Em 2019, as vendas totais do Magalu foram de 27,3 bilhões de reais.

Magalu adquire plataforma entregas

Operamos 1 113 lojas físicas, distribuídas por 819 cidades, de 21 estados, e que vêm rapidamente se transformando em centros avançados de distribuição dos produtos da empresa e de sellers, vendidos online. Para abastecer esses pontos, cinco novos centros de distribuição foram abertos em 2019, totalizando 17 CDs localizados em diferentes regiões do país.

A logística conta com a Malha Luiza, composta por cerca de 2 500 caminhoneiros e com a Logbee, empresa de tecnologia logística responsável pela distribuição em grandes centros, como São Paulo, Belo Horizonte, Florianópolis, Goiânia, Recife e Campinas.  

Crescemos, mas não perdemos nossas raízes. Somos gente que gosta de gente, temos mão na massa, somos simples e inovadores, colocamos sempre o cliente em primeiro lugar e, aqui, todos os funcionários têm atitude de dono.

Um dos bastiões desta nossa filosofia é nosso Conselho de Administração – que Luiza Helena Trajano é a presidente. Há, atualmente, 508 empresas listadas na B3, a bolsa de valores de São Paulo. Desse total, apenas 165 têm pelo menos uma mulher no conselho de administração. Se a barra subir para duas, o número cai para 46. E há apenas nove empresas na B3 com três mulheres nos conselhos. Uma dessas exceções é o Magalu.

O Magalu foi criado há mais de 60 anos com uma missão: incluir. Contribuir para que bens, até então, acessíveis a uma classe de privilegiados pudessem chegar a todos os brasileiros. Não se trata apenas de consumo, mas da transformação de vidas por meio do acesso.

Aparelhos de TV levaram informação e entretenimento para milhões de famílias brasileiras. As máquinas de lavar roupas ajudaram a inserir as mulheres no mercado de trabalho. Agora, a digitalização pode transformar para melhor as empresas brasileiras — sobretudo as pequenas.

Ao se tornar um grande ecossistema digital, o Magalu, com suas raízes fincadas no interior do país, prepara-se para ser a companhia que vai digitalizar o Brasil.

Fonte Magalu – Super Varejo Assessoria de Imprensa – Fotos: Divulgação / Web Arquivo Pessoal